Foto: Internet

No Amazonas, 230 operadores de transmissão vão atuar nas eleições gerais desse ano em áreas de difícil acesso, segundo o Tribunal Regional Eleitoral no Amazonas (TRE-AM). A Secretaria de Tecnologia da Informação do órgão eleitoral informou que os técnicos recebem treinamento na última semana.

As equipes foram capacitadas para atender em áreas rurais, ribeirinhas e aldeias indígenas que não contam com o serviço de internet ou telefonia. O deslocamento desse efetivo para as regiões mais remotas do Estado teve início no sábado (29).

Os profissionais são responsáveis por transmitir, via satélite, os dados das urnas eletrônicas à Justiça Eleitoral.

Este ano, o Amazonas utilizará 236 Bgans, que são equipamentos de transmissão disponibilizados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para utilização em regiões distantes e de difícil acesso. O uso dos Bgans proporciona condições para que a totalização dos votos ocorra no mesmo dia das Eleições.

“No dia do pleito, esses profissionais auxiliarão nas dúvidas e encaminhamento de soluções diante de possíveis problemas de funcionamento da urna e, após o encerramento da votação, realizam a transmissão dos dados da eleição”, informou o TRE.

Conforme o TRE, “sem os equipamentos de transmissão de dados seria impossível fechar a apuração das eleições no mesmo dia, uma vez que os locais ficam a horas, não raro dias de distância da sede das zonas eleitorais”.

As áreas que receberão os aparelhos foram selecionadas por meio de levantamento feito pela equipe da STI do Tribunal, que mapearam a logística de transmissão, traçaram as rotas de transporte de ida e volta, bem como as alternativas em caso de algum problema.

Os Bgans são dispositivos de comunicação via satélite pequenos e flexíveis que permitem a transmissão simultânea de dados e voz, funcionando conectado ao notebook apenas com os sistemas eleitorais.

Finalizada a votação, a mídia de resultado (uma espécie de pendrive) é retirada da urna eletrônica e transmitida via satélite ao TSE, em Brasília, que identifica o Estado de origem e transfere o boletim de urna para o respectivo Tribunal Regional.

Treinamento

De acordo com o TRE, o treinamento foi dividido em aulas teóricas e testes de campo que abrangeram instruções sobre urnas eletrônicas, funcionamento de sistemas eleitorais, rotinas de trocas de urnas e recuperação de dados além de JEConect e Bgans.

Os instrutores também traçaram uma avaliação de perfil, analisando cuidadosamente os que têm as características adequadas para o cargo.

Também foram testados a banda de conexão, recebimento e processamento do BUs. O local escolhido foi o estacionamento dos Correios, pelo espaço e proximidade do TRE-AM.

Fonte: G1 Amazonas