A Fundação Carlos Chagas (FCC), atendendo a Recomendação expedida pela 57ª Promotoria de Justiça Especializada na Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania, suspendeu o andamento do concurso para a Defensoria Pública do Estado do Amazonas.

A Recomendação nº 2018/0000022316, no dia 12 de março, foi expedida pelo Promotor de Justiça Antônio Mancilha em razão da violação dos envelopes de provas, ocorrida em quatro salas de aplicação do exame para o cargo de defensor público.

As provas objetivas foram realizadas no dia 4 de março. Diante das denúncias trazidas a público, o titular da 57ªPRODIHC instaurou Inquérito Civil com Recomendação para que as provas fossem suspensas até o esclarecimento dos fatos. O Promotor de Justiça Antônio Mancilha recomendou, ainda, que os envelopes de cadernos de provas violados e demais documentos integrantes fossem submetidos a perícia técnica.

Em atenção à Recomendação do MP-AM, a FCC encaminhou ofício, que foi anexado ao IC nº 040.2018.000369, confirmando a suspensão das atividades de correção, aplicação e publicação de resultados referentes ao Concurso Público para provimento de cargos iniciais da carreira de defensor Público do Estado do Amazonas.