Em 2019, Claudio Santoro (1919-1989) completaria 100 anos de nascimento, e, para celebrar a trajetória de um dos nomes mais importantes da música amazonense, a Amazonas Filarmônica e o Coral do Amazonas realizarão um concerto com duas sinfonias do compositor, no Teatro Amazonas (avenida Eduardo Ribeiro, 659, Centro, zona sul) , às 20h desta quinta-feira (21/2). O evento, promovido pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC), terá entrada gratuita.

As obras de Claudio Santoro serão apresentadas dentro do programa “Série de Concertos”, que neste mês já apresentou obras de Franz Schubert (1797-1828) e Antonín Dvořák (1841-1904), no Teatro Amazonas. De acordo com o maestro Marcelo de Jesus, que irá reger a Amazonas Filarmônica, a apresentação desta quinta-feira é uma homenagem dos Corpos Artísticos da SEC à carreira do compositor amazonense.

“Claudio Santoro está entre os compositores brasileiros mais importantes de todos os tempos, ao lado de Villa-Lobos, Carlos Gomes e tantos outros nomes de destaque. Ele tem uma produção extensa, que merece ser lembrada ao público amazonense”, declara.

Destaque – O concerto inicia com a Sinfonia nº 9, de 1982, que contém uma dedicatória ao compositor e pianista brasileiro Francisco Mignone. “O estilo dessa sinfonia é uma síntese de tudo o que Santoro havia escrito. É uma música moderna, mas também remete aos tempos em que ele estava na Rússia, onde estudou com diversos compositores soviéticos. Ele também cita alguns compassos da 9ª Sinfonia de Beethoven, como forma de homenagem. Esta obra é considerada umas das melhores das 14 sinfonias dele”, explica Marcelo de Jesus.

‘Poema da Paz’ – Em seguida, será apresentada a Sinfonia nº 4, ou a “Sinfonia da Paz”, de 1954. Esta obra terá participação do Coral do Amazonas, regido pelo maestro Otávio Simões. “O Coral irá participar com trechos de um texto intitulado ‘Poema da Paz’, de Antonieta Dias de Moraes. Esta sinfonia também tem uma influência russa, pois, na época, Santoro estava envolvido com o socialismo, porém, o tom nacionalista é mais forte e nela o público vai encontrar uma percussão ao estilo brasileiro, coro em português, citações de chorinho, entre outras características”, destaca Simões.

Genialidade – O maestro Otávio Simões também ressalta que as sinfonias representam a genialidade do compositor amazonense. “Estas sinfonias representam bem o estilo complexo e de difícil execução que Claudio Santoro possuía na composição de suas obras. Os músicos precisam estudar muito para apresentá-las. Acredito que o público que ainda não conhece poderá entender mais da genialidade dele”.

No dia 28 de fevereiro, o programa “Série de Concertos” volta ao Teatro Amazonas, com a Amazonas Filarmônica, às 20h, para apresentar as obras de Johannes Brahms (1833-1897).

Confira o programa:

Sinfonia n.9 “Homenagem a Francisco Mignone” (1982)

I. Andante – Allegro moderato
II. Andante (con moto)
III. Scherzino
IV. Allegro

Sinfonia n.4 “Sinfonia da Paz”, para coro e orquestra (1954)

I. Allegro
II. Lento – Allegro – Lento
III. Allegro moderato e deciso

Amazonas Filarmônica
Coral do Amazonas (Sinfonia n.4)
Marcelo de Jesus, regente

Serviço: ‘Série de Concertos’: Sinfonias de Claudio Santoro
Data/ Hora: 
21 de fevereiro, quinta-feira, 20h
Local: 
Teatro Amazonas – Av. Eduardo Ribeiro, Centro
Entrada: 
Gratuita
Classificação: 
Livre

Fonte: Assessoria de Imprensa – Secretaria de Estado de Cultura