Foto: Divulgação

Cada vez mais o mercado da beleza – por meio dos cosméticos – tem buscado investir em produtos que contenham, em sua fórmula, produtos oriundos da biodiversidade amazônica. A ‘tendência’ de uma vida mais natural, por assim dizer, tem chamado a atenção de consumidores ao redor do mundo.

E o que era para ser apenas um processo de pesquisa, que tinha como objetivo buscar moléculas bioativas de origem natural, se tornou em uma fábrica de cosméticos 100% naturais e que começou a dar seus ‘primeiros frutos’, em Manaus, no mês de maio deste ano, após o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A Simbioze Amazônica, marca proveniente da Biozer da Amazônia, surge com o objetivo de levar saúde, beleza e qualidade de vida ao consumidor por meio de pesquisas e produtos naturais. “A Biozer é uma startup instalada no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), que atua com pesquisa e desenvolvimento, em parceria com os institutos para a obtenção de produtos inovadores, saudáveis e seguros. Produtos estes com base científica”, explica José Amaral, diretor industrial da Simbioze.

Ainda de acordo com Amaral, todas as matérias-primas utilizadas no processo de produção, possuem rastreabilidade, ou seja, os fornecedores são cuidadosamente selecionados, passando por um processo de verificação de toda a questão legal da empresa. “Além disso, buscamos ajuda junto a instituições de competência, como algumas Organizações Não Governamentais (ONGs), com o objetivo de nos informar sobre as comunidades que realizam trabalho sério no extrativismo e na produção de insumos amazônicos manejados”, comenta.

Atualmente, a Biozer da Amazônia está no processo de lançamento da sua marca de cosméticos, com ingredientes 100% naturais e veganos e sem teste em animais. “Mas estamos trabalhando também no desenvolvimento de alimentos funcionais e fitoterápicos com matérias-primas oriundas da vasta biodiversidade amazônica. Tudo isso, com base científica e com a utilização de muitos produtos em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (Inpa)”, comenta.

Entre os produtos que serão comercializados com as certificações da Anvisa estão: óleos de hidratação para cabelos, pele e pós exposição ao Sol; sabonetes hidratantes, esfoliantes e antiacnes, além de shampoos sólidos e líquidos e máscaras em creme e gel. “Por termos o cuidado e o respeito com as peculiaridades da natureza, levamos ao mercado produtos de qualidade premium, utilizando insumos selecionados, auxiliando na melhoria do valor agregado da cadeia produtiva e quebrando um dos paradigmas da região amazônica, ainda vista como simples fornecedora de matéria-prima”, salienta.

Danniel Pinheiro, diretor executivo da Biozer, destaca, ainda, que entre os diferencias da Biozer da Amazônia está o processo de embalagem e validade dos produtos. “Trabalhamos com um sistema informatizado, onde todo o processo é mapeado, desde a entrada da matéria-prima, passando por sua análise, quarentena, rastreabilidade, envase até a liberação do laboratório de qualidade e análise do produto acabado. Além do mais, todos os prazos de validade são determinados de acordo com as normas da Anvisa, por meio de um laboratório credenciado com destaque para nossas embalagens ecologicamente corretas”.

Para o futuro, Danniel espera que a startup esteja cada vez mais ativa nas comunidades com um trabalho sempre consciente e honesto, promovendo o avanço econômico-social da região. “Queremos nos aproximar da Academia e da iniciativa privada para que juntos possamos transformar anos de estudos em um produto com mais qualidade e segurança para a população”, finaliza.

Fonte: Assessoria de Comunicação