Em resposta direta ao Presidente norte-americano, a chanceler alemã assegurou a independência de Berlim nas suas políticas.

Donald Trump tinha referido esta quarta-feira, antes do início da cimeira da NATO, que a Alemanha é “totalmente controlada” pela Rússia devido à dependência energética em relação a Moscovo. Merkel recorreu à sua própria vivência enquanto jovem na antiga RDA para desmentir as afirmações do homólogo norte-americano.

Donald Trump e Angela Merkel estiveram reunidos num encontro bilateral à margem da cimeira da NATO, que arrancou esta quarta-feira em Bruxelas, mas a troca de palavras entre os dois líderes começou ainda antes do início dos trabalhos.

Esta manhã, na chegada à capital belga, o Presidente norte-americano acusou a Alemanha de “encher os cofres” da Rússia no apoio à construção do Nord Stream 2, um gasoduto no Mar Báltico que vai permitor o transporte de energia desde a Rússia até à Alemanha.

“Se olharmos atentamente, a Alemanha está capturada pela Rússia. Eles livraram-se do carvão, livraram-se da energia nuclear e estão a receber grande parte do petróleo e gás através da Rússia. Acho que é algo para a NATO terá de olhar. É muito inapropriado”, referiu Donald Trump.

“A Alemanha é totalmente controlada pela Rússia. Eles recebem 60 a 70 por cento da energia da Rússia”, assinalou ainda Donald Trump. De acordo com os dados oficiais do Governo federal alemão, 35,3 por cento de importações de petróleo e gás é proveniente da Rússia.

Na resposta ao Presidente norte-americano, Angela Merkel recordou os tempos de infância e juventude na antiga República Democrática Alemã (RDA), sob controlo da URSS. A atual chanceler alemã nasceu em Hamburgo, cidade situada a oeste da “cortina de ferro”, mas cedo se mudou com a família para o lado oriental da Alemanha.