Em seu ritmo anual de crescimento e derretimento, o gelo que encobre o mar do Oceano Ártico geralmente recua ao longo da primavera. Mas nem toda região derrete igualmente – no final de abril de 2018, a cobertura de gelo do Mar de Bering estava muito abaixo da média para essa época do ano.

Situado na borda norte do Oceano Pacífico, o Mar de Bering se conecta ao Oceâno Ártico por meio do “estreito de Bering” – única conexão existente entre dois oceanos. Quando as bordas de gelo derretem e recuam a cada primavera, elas distribuem água fresca e nutrientes no mar.

Mudanças no tempo e na localização da água de degelo podem afetar as florações dos fitoplânctons que, por sua vez, podem atingir todo o ecossistema de Bering. Entenda como ocorre a floração dos fitoplânctos.

O mapa mostra a extensão de gelo no Mar de Bering no dia 29 de abril de 2018, e o segundo serve de comparação com condições consideradas “normais” para o mesmo mês. Todas as áreas brancas tiveram uma concentração de gelo de pelo menos 15% e cobrem uma área total que os cientistas chamam de “extensão de gelo”.