Para marcar os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948), a Anistia Internacional reuniu artistas brasileiros como Chico Buarque e Fernanda Montenegro e lançou nesta semana o clipe de Manifestação, “canção-protesto” que fala de resistência e convoca a sociedade a cantar contra a violência, o racismo, o machismo, a homofobia.

Com letra de Carlos Rennó e música de Russo Passapusso, Rincon Sapiência e Xuxa Levy, a canção “vem para lembrar que, quando os direitos humanos de uma pessoa são violados, os direitos de todas e todos estão em risco”.

Se você é humano ou humana, esses direitos são seus e para os seus.Anistia Internacional.

Também participaram da gravação os músicos Criolo, Péricles, Rael, Rico Dalasam, Paulo Miklos, As Bahias e a Cozinha Mineira, Luedji Luna, Xênia França, Ellen Oléria, BNegão, Filipe Catto, Chico César, Moska, Pretinho da Serrinha, Pedro Luís, Marcelino Freire, Ana Canãs, Márcia Castro, Larissa Luz e Ludmilla.

Há, ainda, a voz e a presença das atrizes Camila Pitanga, Letícia Sabatella e Roberta Estrela D’Alva.

A banda é formada por Benjamin Taubkin (piano), Os Capoeira (percussão), Siba (rabeca), Marcelo Jeneci (acordeon), Emerson Villani (violões e guitarra), Robinho (baixo), Samuel Fraga (bateria), DJ Nyack (pickups) e Roberto Barreto (guitarra baiana). O clipe foi dirigido por João Wainer e Fábio Braga.

Para Jurema Werneck, diretora-executiva da Anistia Internacional, Manifestaçãoé um chamado.

“O lançamento desse clipe é um marco para lembrarmos que, mesmo após 70 anos da Declaração Universal de Direitos Humanos, a mobilização para que nossos direitos sejam garantidos continua crucial.”