Sim, Portugal tem verão e algumas das praias mais belas da Europa. Todas as eleitas estão na região do Algarve, sul do país e a 121,7 km de Lisboa. Um fim de semana é pouco e cinco dias são suficientes, se o objetivo for conhecer os pontos mais legais.

Fui e fiquei três dias: vi praias, fiz snorkelling e comi ótimos peixes e camarões. Badalação? Não há por enquanto, em tempos de covid-19, mesmo com todos os cuidados que existem nos estabelecimentos comerciais e hotéis. 

Mas há muito o que aproveitar! Comece elegendo o tour de barco como ponto de partida. Há passeios de lancha e até de veleiro catamarã saindo de diferentes praias de Lagos, Albufeira, Portimão e Faro. Preferi um passeio mais exclusivo em lancha rápida, com pouca gente a bordo. E foi ótimoooo.

Sai da Praia do Carvoeiro e o tour todo, com visita a algumas grutas, mergulho em uma das piscinas que se formam ali e muitos vídeos do mar e das falésias durou pouco mais de duas horas. Custou 25 euros por pessoa, com guia explicando os detalhes e muito bloqueador solar para proteger do sol a pino.

Depois escolha as praias mais bonitas para ver primeiro e prepare o kit praia: guarda-sol, mochila com bebidas e água, e toalha de praia. Diferente do Brasil, são poucas as praias do Algarve que oferecem aluguel de espreguiçadeiras e guarda-sóis. E quando tem custam, em média, 10 euros o dia. 

Nas praias mais lindas, como a do Camilo e a Benagil esqueça o apoio de bar ou kits de praia. Leve tudo, mas liberte a alma antes tudo, porque ambas são um convite a esquecer o tempo e contemplar a perfeição da natureza. Ficamos pequeninos diante da imensidão do mar azul turquesa e do traçado irregular e, ao mesmo tempo, exato das falésias que serpenteiam toda a costa do Algarve. Na praia da Marinha, cartão postal da região, há um restaurante e bar, mas nada de aluguel de esteiras ou coisas do tipo. 

Em todas essas praias o acesso pede alguns minutos de caminhada e um sobe e desce de escadas, todas bem estruturadas, mas que exigem algo de fôlego. Vale a pena? Superrrr! Coloque na lista, ainda, a praia da Senhora da Rocha, pequena e linda. E a do Carvoeiro, onde estão vários bares e restaurantes badaladinhos e muitas lojinhas de praia e souvenirs. 

Para praias mais urbanas vão duas dicas: a da Armação de Pêra, que tem uma orla com um calçadão repleto de lanchonetes e restaurantes e infraestrutura de alguel de kit praia e serviço de bar. E a praia do Rocha, em Portimão, que é belíssima, extensa e cheia de restaurantes cools e ainda conta com uma orla totalmente urbanizada, com muita infra de bares, mais restos e lojas. Além de dezenas de opções de passeios, diversão aquática e mergulho.

Para entender um pouco

Algarve reúne 4 cidades (Faro, Portimão, Albufeira e Lagos). Todas com boa infraestrutura, com destaque para as três primeiras, que são grandes centros, com shoppings e tudo que se pode esperar de uma cidade de médio porte. São todas voltadas para o turismo, principal atividade econômica da região. Então se prepare para comer bem, especialmente peixes e frutos do mar, beber os melhores vizinhos da região vizinha, o Alentejo, e aproveitar dias de far niente sob um sol forte, que por vezes passa dos 30 graus Celsius, e fazer umas comprinhas.

Para comer bem:

– Restaurante Praia da Galé, para ver o pôr-do-sol e comer arroz de tamboril com gambas.

– Para comer muitoooo bem, vá ao restaurante Arte Náutica, na praia de Armação de Pêra.

– Para comer curtindo o movimento: Bistrô Italiano, na orla de Portimão.

Como chegar:

Se vem do Brasil, a porta de entrada é Lisboa. De lá para o Algarve tem ônibus com saídas diárias, e viagens que duram umas 3 horas. Tem voos para Faro e também é possível alugar um carro em Lisboa e dirigir até uma das cidades da região.

Eu sugiro a última opção, porque o bom do Algarve é tem a chance de ir de praia em praia, explorando também as cidades, as orlas e conhecendo um restaurante aqui e outro ali. Na Europa é possível alugar carros a partir de 1 euro, por dia. E o combustível não chega a 2 euros o litro. 

O que recomendo: reserve um hotel com muita antecedência, de preferência um “pé na areia”, de cara para a praia. Reserve também o carro antes e depois é abrir o blog, ver as dicas de praia e se jogar no mar.