Ex-funcionários do Banco do Estado do Amazonas (BEA), que foi vendido para o Bradesco, lutam há 16 anos para receber o rateio da Cabea (Caixa de Assistência dos Funcionários), que foi extinta junto com a privatização do banco.

O processo se encontra há dois anos no STJ (Superior Tribunal de Justiça) sob a relatoria do ministro Marco Buzzi.

Mais de 1.000 funcionários tinham o direito de receber os recursos, mas somente 333 foram beneficiados. Vários grupos de aposentados ingressaram na Justiça para reaver o direito.

Representantes de um grupo de 53 deles estiveram reunidos nesta quarta (18), em Manaus, com a senadora Vanessa Grazziotin solicitando que ela interceda junto ao judiciário para acelerar o processo. Já houve um primeiro contato da parlamentar com o ministro Buzzi. Na ocasião, ele prometeu colocar o processo em pauta.

“Vamos voltar a fazer os contatos em Brasília para que possamos ter um desfecho favorável sobre o caso. É um direito de vocês e uma obrigação minha”, disse a senadora.

O ex-bancário Joaquim Rodrigues, porta-voz do grupo, afirmou que se trata de uma briga judicial difícil por envolver um dos maiores bancos do país, o Bradesco. Ele diz que o apoio da senadora está sendo importante para que a categoria possa vencer essa batalha.